Conceito derivado do latim“securĭtas” diz respeito à qualidade daquilo que é seguro, ou seja, àquilo que está ao abrigo de quaisquer perigos, danos ou riscos. Quando se diz que algo é seguro, significa que é algo certo, firme/estável e indubitável. Quando falamos de organização de eventos, a segurança das pessoas, dos locais de eventos, dos bens ali expostos é de relevante importância, exigindo o máximo cuidado dos organizadores do evento bem como de eficiência dos serviços e fornecedores contratados.

Crucial em qualquer evento, as questões de segurança estão presentes em todas fases do evento: planejamento, montagem, evento e desmontagem. A segurança, como bem comum, é divulgada e assegurada através de um conjunto de convenções sociais, muitas vezes expressas através de medidas de segurança e aplicadas por meio de planos de segurança, emergência ou contigência, de check list de segurança, isto é, através de planejamento apropriado.

A logística e esse planejamento de segurança em um evento requerem conhecimento técnico e a atuação de pessoal com treinamento especializado e com experiência. Por isso, não cabe somente ao organizador do evento a formulação, a elaboração e a prática de segurança de um evento, mas a diferentes fornecedores, prestadores de serviço e equipe envolvida no evento. 

Verificando e definindo riscos

Cabe a equipe de organização do evento a análise dos diferentes espectros envolvidos na organização de determinado evento, sejam eles análise do local, das condições climáticas (especialmente quando o evento ocorrer em área descoberta), do tamanho do público envolvido, das características do evento, da estrutura a ser construída, do tipo de evento a ser realizado entre outros. Abaixo, listo alguns momentos mais importantes nos quais a segurança do evento deve ser pensada:

1. Escolha do local

O planejamento ou a construção dos espaços para eventos deve seguir normas que visam o bom desempenho, a funcionalidade e a segurança dos locais. Para tanto, deve-se atentar para alguns quesitos importantes:

  • Medidas de ocupação espaço/pessoas.
  • Evitar pisos muito lisos e escorregadios.
  • Verificar e providenciar sinalização clara e fácil acesso às saídas de emergência.
  • Otimizar o espaço disponível, sem que isto diminua o conforto dos participantes e prejudique o fluxo de pessoas e a qualidade dos serviços.
  • Dispor o mobiliário em harmonia com o tipo e categoria do evento, facilitando a circulação os diversos serviços pertinentes ao mesmo como reposições e limpeza.
  • Dentro do possível, suavizar e sobretudo sinalizar degraus, recordando-se de cuidar os acessos às pessoas especiais. Espaço para circulação é de fundamental importância, necessita ter área livre, respeitar as saídas de emergência e não criar obstáculos as rotas de fuga. 

2. Contratação de equipe e empresas especializadas (segurança, brigadista, ambulância/ posto médico, montadora)

Os procedimentos de emergência podem variar de acordo com o porte do evento indo desde a contratação de pessoal qualificado para elaborar e montar as estruturas necessárias cumprindo aspectos técnicos (arquitetos e engenheiros), para realizar os primeiros socorros (brigadistas), ao uso das ambulâncias de um serviço contratado (privado) ou ao posto de atendimento médico, como também a contratação de mão de obra qualificada, especializada e profissionalizada de segurança privada (patrimonial). Lembrando que há normas específicas para o trabalho de vigilantes que devem ser cumpridos (Lei n° 7102/1983 e Portaria 358/09 PF).

Alguns pontos importantes:

  • Elaboração e apresentação de vídeo sobre segurança do evento e serviços existentes – veja abaixo o vídeo produzido pelo CCM GROUP:
  • A localização dos primeiros socorros deve ser indicada no mapa do local e deve ser do conhecimento de todos. 
  • Eventos de grande porte requerem uma via de acesso de emergência, a qual SEMPRE deve ser mantida desobstruída (especialmente em grandes shows, festivais e plenárias).

3. Análise e obtenção de licenças e autorizações (licenças e alvarás)

Na enorme seara que envolve eventos, as regulamentações que incidem em cada um vão depender do tipo [característica] do evento, do local que está sendo realizado [município/estado] e também de seu escopo. Por isso, não há uma fórmula mágica ou uma equação pronta quando falamos em legislação (regulamentações e licenças para eventos junto a órgãos públicos locais) aplicada a um determinado evento a se realizado no Brasil. Alguns órgãos a serem contatados para a realização do evento no que tange a segurança são: Corpo de bombeiros, Ministério Público, Prefeitura, Polícia Militar e ainda outros órgãos Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD) e ANVISA.

4. Credenciamento de fornecedores, equipes e inscritos (mediante documento e itens de verificação) – Segurança de credenciamento

Os ingressos são mais importantes para os eventos cuja principal receita provém da venda das entradas. Existem muitos eventos gratuitos, porém outros como os eventos esportivos a quantidade de ingressos vendidos pode determinar o sucesso ou o fracasso do evento. 

A distribuição de ingressos é considerada a primeira decisão importante na logística de um evento e momento em que a segurança é colocada muitas vezes a teste pois precisa evitar grandes aglomerações, esperas longas e especialmente tumulto. Atualmente esse momento pode ser feito de forma presencial ou eletrônica o leva o organizador a lidar com diferentes desafios:

Credenciamento presencial

A venda de ingressos no portão de entrada ou em secretaria do evento propicia o surgimento de problemas como a segurança na coleta, contabilidade e depósito de importâncias. Os bilheteiros/atendentes precisam de treinamento para lidar com o público, bem como de agilidade para deslocar o público pela entrada. A honestidade dos funcionários também é da alçada da segurança. 

Em locais amplos, um plano de entrada para evitar perdas é usado a fim de minimizar a possibilidade de roubos.

Outro método de controle, é o emprego de braceletes plásticos (fita de controle de público) especialmente nos eventos maiores como festivais. Estes recebem cores diferenciadas para indicar o tipo de ingresso – passe diário, uma semana, especial para artistas ou produção.

5. Segurança na era da internet: bens intangíveis (informações)

A internet está cada vez mais sendo utilizada para compra e distribuição de ingressos para eventos, concertos, congressos e conferências de grande porte. A partir da instituição de encriptação de dados, houve um ganho na privacidade e na segurança de métodos de pagamento que tem levado cada vez mais a esse canal de distribuição e contato com o público. Porém, o emprego da internet também gera a necessidade de assegurar a confiabilidade digital.

6. Seguro de Responsabilidade Civil

O Seguro de Responsabilidade Civil (SRC) para eventos é destinado a cobertura dos danos ocasionados durante o evento (montagem, realização e desmontagem) indenizando o(a)(s) assegurado(a)(s) com valores referentes a reparação por danos corporais e/ou morais e materiais involuntariamente causados a terceiros, ocorridos durante a vigência do evento e do seguro no local do evento (de vigência do seguro) os quais devem estar cobertos pela apólice. 

O preço do seguro é elaborado pela seguradora e/ou pela corretora com base no local do evento, da quantidade de participantes, estrutura física, capacidade do local e valor da cobertura solicitado.

Quando a segurança do evento passa a ser item da segurança nacional

Cabe não esquecer que a segurança também pode fazer referência à defesa nacional. São políticas que desenvolvem os Estados para evitar ou recusar ataques que possam ser levados a cabo por outros países. 

Esse caso se aplica a eventos mundiais, internacionais, com grande ajuntamento de pessoas e muitas vezes com representação de países envolvidas. Nesse quesito, segurança passa a englobar outro âmbito e é importante estar conectado também ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) e a Polícia Federal (PF).

Nunca se deve minimizar a importância da segurança no local, pois esse será sempre um ponto crucial de qualquer tipo de evento. Acidentes podem acontecer, no entanto, nesses casos – como a organização vai lidar nesse momento de gravidade fará toda diferença. Elaborar um plano de emergência o mais completo possível, tendo verificado todos os itens, se assegurando daqueles mais perigosos, agindo sobre eles, auxiliarão que riscos de incidentes se tornem praticamente nulos. Este é planejamento que o organizador deve sempre fazer para que sempre que possível não o utilize. 

Aos organizadores, assim como tratamos em nossas equipes, ressaltamos que sobre sua responsabilidade estão a vida de pessoas, valores, integridade de bens, reputação de sua empresa, sua cidade, dos patrocinadores entre outros, por isso a organização de evento tem que ser levado a sério, sendo a segurança de todo e qualquer evento parte primordial da preocupação e do trabalho do(a) organizador(a).


Veja também: